Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, abril 09, 2007

1078. Privatização da RTP 1

Apoio a proposta do PSD de privatização da RTP 1. Não tem sentido manter a RTP 1 nas mãos do Estado porque: i) esta não presta um serviço público relevante e/ou diferenciado; ii) a actual situação cria sempre suspeitas de manipulação da informação. Mas vou mais longe: porquê só privatizar a RTP 1 e não toda a RTP (RTP 2; RTP-N; RTP-Madeira; RTP-Açores, em suma, a RTP)?

Etiquetas: ,

4 Comments:

  • At 6:59 da tarde, Blogger Shinobi said…

    Também concordo com a privatização, agora queria ver é como é que ela ia ser feita de um ponto estritamente jurídico. É que ao lado do sector empresarial do Estado "strictu sensu", ou seja, as empresas públicas, existem empresas totalmente privadas, em que o Estado pode ser acionista maioritário (agindo na sua esfera puramente privada)e manter-se as suspeitas na mesma. A ver vamos onde e o que é que isto vai dar!

     
  • At 7:14 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Jorge,

    Defendo uma total separação da RTP do Estado, ou seja, capital estritamente privado e, de preferência, sem accionistas com capitais públicos. Mas não podemos impedir, por exemplo, a CGD de ser accionista (preferia que não fosse).

    Há sempre formas de manipular a informação. Nos jornais, como bem sabes, mesmo nos privados, há muitos que vivem de publicidade institucional. Já li notícias nesse sentido, por exemplo, com um jornal de Gaia.

    Grande abraço,

     
  • At 12:31 da manhã, Anonymous Fernando said…

    Absolutamente contra a privatização. A RTP pode não estar e não está a cumprir o papel de serviço público mas a solução não é privatizar. Não saímos disto. Está mal? ...privatize-se (podem ser os mesmos gestores, já agora ... melhora logo). Não percebo, sinceramente, em vez de se pedir, rigor, exigir independência, pedir responsabilidades, não ...privatize-se. Não quero a RTP para estar ao serviço dos governos. Mas quero uma Televisão (uma ao menos, Ricardo) que não esteja na mão de interesses financeiros e mesmo políticos. Vá lá uma concessãozinha ... O que falta privatizar. Privatize-se tudo. Não funciona tudo mal neste país? Vá a seguir privatize-se a água. E assim se faz Portugal!

     
  • At 1:08 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Fernando,

    Eu não disse que a RTP funcionava mal. O que disse é que não há nenhum argumento que indique que há vantagem em esta estar nas mãos do Estado.

    Eu defendo que as funções do Estado na área da saúde, educação, segurança, defesa, justiça, entre outras continuem na tutela directa do Estado (o grau de exclusividade depende do sector) mas já o sector empresarial do Estado não tem justificação para estar a ser tutelado directamente pelo Estado (que deve apenas regular).

    Repara: i) O serviço público não tem definição possível e, à luz das tecnologias actuais, nem as assimetrias regionais são justificação para uma RTP Pública; ii) A RTP só provoca desconfiança de manipulação da informação paga do nosso bolso (nos privados é natural que haja algum posicionamento estratégico na informação e aí cabe à regulação o controlo dos excessos/ informação falsa); iii) A RTP provoca distorção na saudável concorrência do sector; iv) Não há nenhuma vantagem concreta na manutenção da RTP pública.

    Abraço,

     

Enviar um comentário

<< Home