Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, abril 23, 2007

1101. Cenas Memoráveis da Sétima Arte (20): Cinema Paraíso - O beijo



Quando se disserta acerca da obra-prima de Giuseppe Tornatore, e ainda mais quando nos lançam o desafio de escolher uma cena predilecta desta MAGNÍFICA longa-metragem, tal desiderato torna-se numa tarefa hercúlea, à semelhança do herói da mitologia grega, na demanda da superação dos seus 12 trabalhos. Aqui o número doze seria uma perfeita insignificância, atendendo às dezenas de "frames" memoráveis que "Cinema Paraíso" possui.

No entanto, e feita uma cuidada ponderação, quando reflectimos acerca da angústia de Salvatore (Toto) em maldizer o facto da estação estival nunca mais terminar - "Verão de merda! Se fosse num filme...." - como condição "sine qua nom" para poder rever o seu amor! Quando pensamos na chuva a embater na face do apaixonado, e o sorriso triunfante que posteriormente se vislumbra no inocente rosto! Quando (passe a repetição), a bela e doce Elena surge do "nada" e torna-se no "tudo", colando sofregamente os seus lábios nos de Salvatore, fazendo com que aquele momento fosse único na vida de ambos...

Todos nós, consoante os casos, sentimos que desejaríamos ser Salvatore ou Elena naquele momento!

[Sugestão e texto do Shinobi - My Asian Movies]


Desafio todos os leitores deste blogue a contribuírem para esta rubrica (Cenas Memoráveis da Sétima Arte). Pode ser uma cena ou um pormenor, seja técnico ou de representação, do vosso filme favorito ou de um outro qualquer filme que, por alguma razão, emocional ou técnica, vos marcou. Basta uma pequena descrição da cena ou um pequeno apontamento que justifique a escolha, o nome do filme e, eventualmente, o vosso apelido e blogue. O mail é, como sempre, filhodo25deabril [at] gmail.com.

Etiquetas: ,

5 Comments:

  • At 1:10 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Shinobi,

    Não só o filme é magnífico como a descrição que elaboraste é perfeita.

    Obrigado e abraço,

     
  • At 9:49 da manhã, Blogger Shinobi said…

    Ricardo,

    eu é que tenho de agradecer a magnífica rúbrica que criaste. Tentarei contribuir sempre que puder.

    Abraço,

     
  • At 1:18 da tarde, Blogger GPC said…

    Tesouro da Sierra Madre:
    a cena da dança em cima da rocha festejando a descoberta,
    http://www.filmsite.org/scenes45.html

     
  • At 4:15 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro GPC,

    Agradeço a sugestão mas vou explicar o que pretendo com esta colectânea de cenas. Desconhecia a ligação que disponibilizas e provavelmente vai ser uma excelente fonte de fotografias mas não quero fazer um copy+paste da descrição da cena.

    Para publicar uma cena basta uma citação, uma pequena descrição, qualquer pequeno pormenor, que não torne a iniciativa uma colagem de opiniões que já se encontram disponíveis na internet.

    Deste modo e caso queiras escolher uma citação ou construir uma pequena descrição que explique o porquê da admiração pela cena terei todo o prazer em incluir a cena nesta rubrica.

    Abraço,

    P.S. Possuis algum blogue?

     
  • At 1:58 da manhã, Blogger belinha said…

    Ah!Isso é difícil, mas ocorre-me já uma!O filme é Dracula de Bram Stocker, e a cena é aquela em que ele diz à sua apaixonada Elizabeta:"I crossed an ocean of time to be with you".Para mim este filme é uma grande história de amor. Foi assim que o vi há muitos anos quando estreou e saí até mais cedo de uma prova de frequência(1 hora e meia mais cedo, abreviei as respostas) para ir vê-lo!

    Acabo de ver o 300!,mas é melhor ficar por aqui, estou a comentar posts a mais...

     

Enviar um comentário

<< Home