Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quinta-feira, maio 17, 2007

1151. O Tricot do Tempo

"Expulsei Deus do sólio e deixei-o vago. Assim, enquanto escalo estas escarpas dilacerantes da vida, fito o púlpito que poderia ser meu. Nunca o será, sei-o, mas aquele vazio simboliza a possibilidade de emancipação absoluta. Tenho o poder de urdir o meu próprio mundo, sem alterar o dos outros. Poderia, se fosse megalómano, coroar-me como Deus de uma humanidade circunscrita a mim. Seria, digamos, Deus de mim próprio. Mas não. Sou, somente, um anárquico no limiar da loucura. Meu amigo, eu só quero esticar-me até me fragmentar." *

* Excerto do conto "O Escravo da Liberdade", do livro "O Tricot do Tempo", de Vítor Sousa

Aconselho vivamente a aquisição deste livro de contos de Vítor Sousa. A riqueza da linguagem, a criatividade e a força das ideias é arrebatadora no "O Tricot do Tempo"**.

** Apresentação no Funchal no dia 20 de Maio, às 17 Horas, no Fórum Fnac

Etiquetas: ,

2 Comments:

  • At 9:51 da manhã, Anonymous Fernando said…

    O Vitor Sousa tem de facto um vocabulário extenso e rico, certamente de muita qualidade, mas demasiado rebuscado para o meu gosto. Mas neste excelente trecho percebi-o sem grande esforço. Se o encontrar por aí compro-o.

     
  • At 10:45 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Fernando,

    Há vários estilos literários. Este livro obriga-nos a pensar e a reflectir, é muito criativo. Eu gostei e recomendo.

    Abraço e obrigado pela visita,

     

Enviar um comentário

<< Home