Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quarta-feira, novembro 10, 2004

(230) Sala de Cinema: Sky Captain and the World of Tomorrow, de Kerry Conran


Sky Captain...

É fácil resumir este filme em poucas palavras pois trata-se dum filme de aventuras sem pretensões a ser sério e que atinge com estilo o seu objectivo, simplesmente entreter. Aqui não nos é pedido para pensar ou reflectir sobre nada, só temos que nos sentar e apreciar a viagem. E a viagem está repleta de acção, a um bom ritmo com uma Banda Sonora frenética, cheio de referências ao mundo da Banda Desenhada e a filmes de aventuras. Fez-me lembrar os desenhos animados antigos do Super Homem, o Tin Tin e até o Major Alvega.


... and the World of Tomorrow!

Não é fácil retomar o espírito dos filmes de aventura que dominaram parte da década de 70 e de 80, com filmes como Indiana Jones, A Joia do Nilo ou Star Wars. Recentemente assistiu-se a filmes como a Múmia e os novos Star Wars que piscavam o olho à ingenuidade desses filmes que dominaram uma época. Mas algo não estava certo, pareciam deslocados no tempo. Já este filme consegue recuperar o espírito dessas décadas duma forma bastante simples, despindo-se de tentativas de grandeza e focando-se numa genuína sucessão, perdoem-me a redundância, de aventuras. A história é simples e directa, sem dramatismos forçados! Claro que os efeitos digitais ao terem alcançado um nível de maturidade aceitável ajudam a contar a história. Porém os resultados bastante desanimadores de bilheteira continuam a indicar que este género já teve melhores dias.


O filme ganha pelo seu aspecto visual e pela sua simplicidade. Se querem um bom exemplo do que deve ser um puro filme de entretenimento vejam este filme. Se estão à espera de alguma mensagem ou dum filme com substância ou realismo evitem-no. Aqui é a imaginação que comanda, com cenários e situações que não se repetem apenas acompanhando os nossos heróis por este mundo caricatural e cheio de surpresas. De destacar a personagem de Angelina Jolie que tem uma breve aparição mas que é um bom exemplo da marca que este filme deixa. A personagem tem uma enorme vontade de participar na festa e esse é o objectivo. Tão simples quanto isso!

3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home