Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quarta-feira, novembro 03, 2004

(221) Hoje...

... podemos afirmar que a estratégia do medo ganhou! Hoje podemos afirmar que Kerry era muito fraco como líder! Hoje podemos afirmar que Bin Laden ajudou Bush! Hoje podemos afirmar que os Americanos são ignorantes! Hoje podemos afirmar que houve fraudes eleitorais! Não vale a pena fazer estas afirmações!

A realidade é que Bush ganhou e aumentou largamente o voto popular, mesmo com esta participação recorde. A verdade é que os Americanos estão satisfeitos com a estratégia de Bush no combate ao terrorismo e todos nós, resto do mundo, aceitamos a estratégia ou ficamos mais fortes. Não podemos depender das eleições americanas para definir a nossa estratégia. Temos de ser mais fortes e isso significaria grandes concessões ao nível duma política externa comum (que inclui um braço militar) e duma economia coordenada e menos autónoma. A grande questão é se os Europeus estão dispostos a seguir este polémico caminho ou querem continuar a depender das orientações americanas mesmo para resolver conflitos aqui no nosso quintal. Parece mais cómodo sempre que há um problema pedir ajuda e quando não há criticar a política externa americana. Parece-me uma hipocrisia da Europa que nunca mais se decide se quer fazer sacrifícios ou não para ter um papel forte no mundo!

Estou triste pela provável vitória de Bush, mas não vou procurar as justificações convenientes para minimizar esta vitória. A questão é que quem manda no mundo são os Estados Unidos da América e só podemos interferir se fizermos os mesmos sacrifícios que eles fazem no Orçamento da Defesa e na Política Externa, e isso parece que não estamos dispostos a fazer! Por isso cabe-nos engolir mais este sapo e os que se vão seguir...

6 Comments:

  • At 11:00 da manhã, Blogger O Micróbio said…

    O problema aqui não é saber se estamos ou não tristes com a vitória do Bush... para mim a questão era saber se iríamos ficar plenamente contentes com a vitória do Kerry. Eu não tenho de arranjar justificações para esta vitória republicana, porque a maior justificação veio da parte dos democratas... porque motivo avançaram com um homem com menos carisma que outros que por lá havia!

     
  • At 12:14 da tarde, Blogger O Raio said…

    Os Estados Unidos são um "tigre de papel". Actualmente, enrodilhados como estão no Iraque ou no Afganistão não têm "dentes" para mais nada.
    Mas a vitória de Bush foi uma desgraça para nós. Por muitas razões, uma das quais é permitir este tipo de discurso pró integração europeia.
    Num certo sentido o Bush é o nosso Bin Laden. Tal como o Bin Laden foi utilizado numa estratégia de medo para dar apoios a Bush, Bush irá (isto é, está a ser) utilizado pelos integracionistas para gritar "temos de nos unir para fazer frente a Bush".
    Por mim tenho mais horror em cairmos na órbita da Europa Central do que a cairmos na dos Estados Unidos.
    Basta olhar para a História, o rol de crimes da Europa Central é infinitamente maior do que o dos Estados Unidos.
    Atenção, eu não discordo de uma aliança militar deste lado do Atlântico, uma aliança que poderá incluir grande parte dos países da Europa (incluindo a turquia) e mesmo outros como Marrocos, por exemplo.
    Mas não misturemos as coisas, defesa é uma coisa, economia outra e desejos imperiais outra...

     
  • At 12:41 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Raio,

    A tua argumentação tem mais fraudes intelectuais que as fraudes no Estado da Flórida. Esse teu medo da Europa Central e os seus crimes é pura futurologia infundada, parece a política do medo dos EUA. É claro que tudo pode acontecer neste mundo e um dia os profetas da desgraça vão acertar mas para que aconteçam todas as desgraças que estás sempre a prever muitas intervenções divinas vão ter de acontecer.

    Quanto ao Bush estar a unir a Europa isso também não é uma certeza, veja-se a posição da Europa de Leste e mesmo a Espanha até há pouco tempo (excluo desta análise o Reino Unido por questões óbvias). Quanto aos integracionistas Europeus eu não digo que temos de nos unir para combater Bush. O que eu digo é que se acabe com a hipocrisia de estar sempre a criticar os EUA quando não precisamos deles e a elogiar quando temos problemas. O que eu digo é que também temos uma opinião sobre o Mundo, claramente distinta da visão Americana (republicana e Democrata) e só cooperando podemos ter voz!

    Fica bem,

     
  • At 1:28 da tarde, Blogger polittikus said…

    Tudo numa só frase...A ignorância ganhou.

     
  • At 3:42 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Polittikus,

    Tenho de discordar! Os Americanos têm toda a legitimidade de escolherem quem bem entenderem! E se nós, Europeus, não estamos satisfeitos com as decisões americanas temos de encontrar formas de impor as nossas posições.

    Fica bem

     
  • At 7:50 da tarde, Blogger O Raio said…

    Ricardo amigo, a integração está contigo...

    "A tua argumentação tem mais fraudes intelectuais que as fraudes no Estado da Flórida."!????

    Que fraudes? Que argumentação?

    "Esse teu medo da Europa Central e os seus crimes é pura futurologia infundada, parece a política do medo dos EUA"!???

    Medo da Europa central!?
    Ricardo, limito-me a citar factos históricos, mais nada.
    Não foi na Europa que nasceu a moda de expulsar judeus (creio que começou no século XIII em Inglaterra), não foi na Europa que começou a moda de matar judeus? Não foi na Europa que começou a moda de gazear judeus, ciganos e outros? etc.
    Tudo isto, e muito mais, faz parte da "herança" cultural europeia. Devemos velar para que ela não resuscite. E, impedi-la não é ter medo dela, é só um sinal de inteligência.

    "Quanto ao Bush estar a unir a Europa isso também não é uma certeza, veja-se a posição da Europa de Leste e mesmo a Espanha até há pouco tempo"

    Não devemos confundir governos com populações. Creio que o único país da Europa maioritariamente pró Bush é a Polónia.
    O Reino Unido, por exemplo, não é.

    "Quanto aos integracionistas Europeus eu não digo que temos de nos unir para combater Bush."

    Ahhh! Percebi mal... pareceu-me mesmo que tinhas essa ideia...

    "O que eu digo é que também temos uma opinião sobre o Mundo, claramente distinta da visão Americana (republicana e Democrata) e só cooperando podemos ter voz!"

    Aqui começa o problema, o "nós". Estas-te a referir a quem?
    E porquê "Claramente distinta da americana?" Nem discutes qual a visão americana, postulas que tem de ser diferente, ponto final.
    Estou a ver porque é que não nos entendemos, eu não sou nacionalista, sou internacionalista, acho que devemos trabalhar para aproximar as visões do Mundo que todos os povos têm. Afinal o planeta é só um e já cá estamos mais de seis mil milhões! Só aproximando as tais visões do Mundo é que podemos ter Paz.
    Sim, só cooperando podemos ter voz, só cooperando com os outros povos europeus, americanos, sul-americanos, africanos e asiaticos é que podemos ter voz.
    Se alguma coisa me assusta são atitudes belicistas como a tua tão vulgares nos adeptos da integração europeia. Infelizmente...

     

Enviar um comentário

<< Home