Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

988. Anedotário Político

"O 'Jornal da Madeira' é, hoje, uma guerra de regime, não alinha pelo pensamento único e pela falta de pluralismo que está vigente em Portugal"

"Custe o que custar [o "Jornal da Madeira"] tem de ser mantido para continuar a desenvolver uma luta contra o sistema imposto"

[O responsável pelo Governo Regional admitiu que o seu executivo] "obviamente que se aproveita para ali fazer publicidade"

Alberto João Jardim, notícia completa aqui

A resposta de Alberto João Jardim ao Tribunal de Contas por causa do financiamento de 5 milhões de euros ao Jornal da Madeira é, no mínimo, surreal. Que tipo de pluralismo é possível alcançar quando um dos jornais de maior tiragem na região tem uma agenda política financiada por um Governo Regional que tem por base um partido? Pelo menos é de admirar a frontalidade do Presidente do Governo Regional que, ao invés de tentar explicar a existência do financiamento para alguma causa nobre, admite com todas as letras que o jornal é um instrumento de luta política contra o tal "sistema imposto". Qualquer dia essa admissão pode estender-se à RTP-Madeira e a várias estações de rádio e aí, racionalmente, vai ser difícil explicar porque é que a Madeira é um exemplo de pluralismo no país.

1 Comments:

  • At 7:14 da tarde, Anonymous Fernando said…

    assim se calam certas vozes. O Comércio do Funchal ainda existe. Aquele sim era um bom jornal.

     

Enviar um comentário

<< Home