Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quinta-feira, maio 17, 2007

1152. Doação de Sangue por Homossexuais

A discussão sobre a exclusão/ inclusão dos homossexuais na doação de sangue (por exemplo aqui) é surreal. Uma vez abandonada, há mais de uma década, a teoria dos grupos de risco e adoptada a de comportamentos de risco, agora, esta noção é reinventada. Segundo o autor há comportamentos de risco que são comuns a alguns grupos. Brilhante, voltamos à definição original. E a posição, segundo o mesmo autor, é ideológica, o que é mais uma conclusão importante já que assim concluí-se que a esquerda deve estar cega e não vê que aqueles e aquelas são uns promíscuos e a direita, felizmente, não é hipócrita e diz logo: aqueles e aquelas não se sabem comportar. Ou será o contrário? Isto das ideologias...

6 Comments:

  • At 10:48 da tarde, Blogger Bruno Gonçalves said…

    Ricardo,

    As coisas não assim tão lineares. Julgo que não se pode ser assim redutor. But enfim, julgo que todos compreendemos que privilegias os comportamentos de cada indivíduo individualmente, à exclusão grupal por uma orientação sexual. Mas é preciso referir que há uns anos, efectivamente esta orientação estava claramente associada à primeira.

    Como referi no meu blog, a ser discutido, é esta última parte.

     
  • At 11:42 da tarde, Blogger O Profano said…

    É pena existirem regras como estas.
    A Promiscuidade é um problema tanto dos Homosexuais como dos Heterosexuais!
    Sempre que vou dar sangue e me fazem a consulta/entrevista habitual, perguntam-me qual o meu comportamento sexual nos ultimos 6 meses. E a resposta é sempre a mesma. Como não sou promiscuo, estou habilitado para dar sangue( não tenho outros problemas de saude que o impossibilitem). Mas se fosse "homo" talvez já não me aceitariam, mesmo que não fosse promiscuo. Está mal!
    E então a tal "liberdade" de opção que o Homem tem direito, onde está?
    É devido a atitudes destas que depois se queixam que não existe sangue suficiente nos bancos proprios. Existe muito "homo" saudável que depois não pode fazer a sua doação. Isto só impossobilita que quem precisa, não pode usufruir dessa riqueza que é o Sangue!

    Abr...Prof...

     
  • At 9:46 da manhã, Anonymous Fernando said…

    Excelente, Ricardo.

     
  • At 11:19 da manhã, Blogger João Dias said…

    A mim parece-me óbvia a aberração desta concepção que os homossexuais não podem dar sangue por estarem associados a comportamentos de risco. Isto sem meias palavras...é racismo. O racismo caracteriza-se muito, entre muitas outras coisas, por isto, generalizar características e depois retirar direitos em função dessas concepções levianas. Obviamente que qualquer indíviduo saudável deve poder doar sangue.

    Agora não percebo, Ricardo, aonde a esquerda tomou uma posição ideológica sobre isto, aliás esta parece-me claramente uma posição lógica sem qualquer tipo de romanceamento lírico de esquerda...

     
  • At 1:15 da tarde, Blogger O Raio said…

    Eu até duvido que a SIDA exista realmente como é descrita nos textos que aparecem por aí.
    Mas acho lógico que se presuma que os grupos de risco têm comportamentos de risco. Quanto mais não seja porque é esse comportamento que o coloca no grupo.

    Exemplo:

    O Zé pertence ao grupo de risco dos frequentadores de prostitutas mas, como não frequenta prostitutas não tem comportamentos de risco e, logo, pode ser doador...

     
  • At 7:14 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Raio,

    Não sei se percebi bem o exemplo. A questão é importante para perceber as formas de combate à discriminação e sobre a forma de prevenir as doenças. Por isso a importância da separação entre comportamento e grupo de risco.

    Abraço,

     

Enviar um comentário

<< Home