Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, outubro 11, 2004

(197) Portuguesas e Portugueses


Conversas em Família Posted by Hello

Hoje tive oportunidade de assistir ao tempo de antena do Governo! Esta nova forma de comunicar é, sem dúvida, original (ou talvez não). Durante 12 minutos vários canais retransmitiram uma conversa pré-gravada em diferentes momentos de tempo de Pedro Santana Lopes. Sou muito novo para lembrar-me do formato das "Conversas em Família" com Marcelo Caetano mas peço a ajuda aos meus (poucos) leitores para explicarem a este Filho da Democracia se este formato faz ou não recordarem-se doutros tempos.

Não quero fazer comparações demagógicas mas simplesmente chamar a atenção que este tipo de comunicação ao país não deve banalizar-se. Gostei também do pormenor da fotografia do Papa estrategicamente colocada no canto da imagem. Quanto ao conteúdo, cheio de intenções e lugares comuns, achei interessante ser quase o oposto do que Bagão Félix também comunicou o país de forma original. E continuo sem perceber nenhuma estratégia não conjuntural para o país.

Especulo que o Ministro dos Assuntos Parlamentares deve estar a pensar que este tempo de antena necessita de contraditório e prevejo que já amanhâ a Alta Autoridade para a Comunicação Social vai ser chamada a intervir.

Post Scriptum: Durão Barroso apelou à união (no PSD) e à estabilidade (no país). Como quero fazer-lhe a vontade vou exigir a partir de hoje com mais convicção a rápida realização de eleições antecipadas!

4 Comments:

  • At 12:15 da tarde, Blogger O Raio said…

    Francamente não gostei do formato.
    Acho que ele devia era ir ver as conversas em família do Marcelo (Caetano), as práticas dominicais do Marcelo (Rebelo de Sousa) e ler as obras de Marshall McLuhan para perceber como se deve fazer uma intervenção televisiva à hora do jantar...
    E uma coclusão se tira, o PSL tem jeito para falar de improviso mas é um horror a ler um texto em público.
    De qualquer forma podemos chegar à conclusão de que este governo é o ideal, é o governo self-service. Se queremos uma política respeitadora de deficits, contabilidade pública, etc., damos atenção às intervenções televisivas do Bagão. Se queremos um governo empreendedor, distribuidor de dinheiro e por aí fora, damos atenção às intervenções do Primeiro Ministro.
    Quanto ao Durão (Mr. Barroso), ele veio cá fazer chantagem. Ou aprovam a Constituição ou será a miséria para a classe média e classe baixa.
    Nada que não se esperasse.

     
  • At 1:27 da tarde, Blogger polittikus said…

    O fraco discurso de Santana ao país é a prova cabal do vazio de ideias e da fraca equipa que o acompanha...

     
  • At 1:29 da tarde, Blogger Didas said…

    Das conversas em família lembro-me. Mas só o suficiente para saber que só as via à espera dos desenhos animados e da Pipi das meias altas. Estas conversas em família agora já valem pelos próprios desenhos animados.
    Por isso acho que não, não é bem a mesma coisa.
    Espero ter ajudado.

     
  • At 1:40 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Raio,

    De facto a prestação televisiva de PSL foi muito fraca, nem na imagem que eu pensei que era o seu ponto forte. O conteúdo foi mau demais para ser verdade.

    Caro Polittikus,

    Eu já não precisava de provas e cada vez menos portugueses precisam. O vazio de ideias é por demais evidente.

    Caro Didas,

    Agradeço o esclarecimento.

    P.S. Não consigo aceder ao teu perfil. Se tiveres um blog deixa aqui o endereço.

     

Enviar um comentário

<< Home