Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quinta-feira, maio 12, 2005

(408) A Esquerda Resignada e a Direita Refém

Confesso que tenho dificuldade em perceber porque é que toda a imprensa começa a dar por adquirido que Cavaco Silva é invencível, imbatível e intocável. E tenho ainda mais dificuldade em perceber porque é que a esquerda começa a se habituar a esta ideia e porque é que a direita não tem coragem de se libertar do desprezo que Cavaco lhes dita.

Afinal quem é este homem providencial que, qual Dom Sebastião, vai surgir das brumas da memória e “papar” qualquer homem que ouse concorrer contra ele?

É um político astuto. Não porque seja intuitivo como Mário Soares foi em tempos mas porque é frio e mecânico. Sabe e soube gerir duma forma metódica a sua imagem e o país. Em tempos resolveu fazer uma rodagem ao carro e conquistou o PSD. Acabou com o Bloco Central e tentou evitar que fosse Soares a assinar a adesão à actual União Europeia. Falhou mas pouco depois conquistou o país muito por culpa da divisão que o PRD criou na esquerda. Teve aí o seu melhor período governativo e surpreendeu o país com o seu Governo minoritário. Novamente com a ajuda do PRD conquistou a sua primeira maioria absoluta acabando de vez com o estigma da italianização do país. Governou num período dourado para qualquer governante. Com os fundos europeus que o seu antecessor tinha negociado e com o dinheiro das privatizações encheu o país de betão. O país parecia que tinha voltado ao espírito mercantilista, só existia a perspectiva puramente financeira da economia. Apesar das reformas tardarem e da fraca execução e fiscalização dos fundos de coesão (principalmente no que toca ao tecido empresarial) conseguiu trazer ordem às finanças de Portugal.

Em 1991 era reeleito e conquistava a sua segunda Maioria Absoluta. Mas este terceiro mandato foi uma das maiores oportunidades perdidas da história recente de Portugal. Até 1985 Portugal debatia-se com uma gravíssima crise financeira mas agora não havia justificação para, num ambiente de maioria absoluta e com mais margem financeira, não se ter feito quase nenhuma reforma na Saúde, na Justiça ou na Educação. A Administração Pública ganhou vícios e promoções automáticas que ainda hoje pagamos. Até 1995 Portugal começou a perceber que Cavaco geria tudo com arrogância e calculismo e começou a demarcar-se deste estilo de fazer política. A era Reagan e Tatcher tinha acabado e a política mudou mais depressa que o homem. Cavaco, no último mandato, estava acompanhado de ministros que desprestigiaram os lugares que ocuparam marcando o fim duma geração de políticos que conseguiu trazer o melhor que a sociedade civil tinha para a política.

Em 1995 sai com a sua imagem abalada e ainda tem tempo, num golpe de vil traição, abater Fernando Nogueira em vésperas de eleições. Em 1996 perde as presidenciais entalado com o bolo rei que nunca conseguiu mastigar e digerir. Nem a divulgação de que tinha sido campeão de torneios de matraquilhos e de que adorava desportos radicais o afastaram da imagem de político sem perfil para Presidente da República.

Agora eu pergunto: o que é que Cavaco Silva fez de 1995 até 2005 para merecer este título de imbatível? Eu, imodestamente, respondo: nada! Então porque é que Guterres foge, Vitorino esconde-se e o PS lança Alegre na Comunicação Social como o candidato ideal para ser queimado? Sinceramente não percebo mas avanço uma teoria. É porque Guterres, Durão e Santana passaram pelo poder. O país, depois de tanta leviandade na condução do seu destino quer de novo ordem e rigor. Só que terá sido Guterres pior que Cavaco? Os seus últimos mandatos foram igualmente desastrosos! E Durão terá sido muito diferente de Cavaco? Nem por isso já que os dois tiveram uma visão desadequada da economia porque qualquer gestor sabe que uma empresa gerida pelo seu tesoureiro nem cresce nem resolve os problemas. Já comparando com Santana tenho que concordar que Cavaco é bastante diferente e para melhor. Mas será que este é o melhor critério para termos um bom Presidente? Terá Cavaco perfil para Presidente? Eu acho que não! Andamos a perder tempo a criar mitos quando já conhecemos o homem e este não tem nada a ver com os mitos que se criaram.

Então porque é que há tanto medo deste homem? Porque é que a esquerda se recusa a combater este modo ultrapassado de fazer política? E porque é que a direita vive refém da vontade dum só homem? Eu sei que há melhores candidatos neste país e o meu apelo é para que avancem sem medo, vindos da esquerda ou da direita.

Eu, quando olho para Cavaco, vejo um homem sério e honesto. Vejo um homem que não brinca com o dinheiro dos outros como Santana brincava. Mas também vejo um homem ultrapassado, calculista e apagado. Mas todos parecem ter medo deste homem. Todos o veneram e receiam. Mas porquê? Alguém é capaz de me explicar?


Este post teve o patrocínio de:

Em 2005. É o regresso dos androides ao cinema. Agora só 25% homem e 75% máquina.



Invencíveis, imbatíveis e intocáveis! Ainda mais frios e mecânicos! Não perca numa sala de cinema perto de si!

16 Comments:

  • At 10:22 da tarde, Blogger Ruvasa said…

    Viva, Ricardo!

    "...porque é que a direita não tem coragem de se libertar do desprezo que Cavaco lhes dita".

    Este é que é para mim o mistério mais insondável.

    E prefiro não qualificar a atitude.

    Abraço

    Ruben

     
  • At 11:30 da manhã, Blogger O Raio said…

    Lamento estar, uma vez mais, em desacordo contigo.
    O desacordo é que tu achas que, apesar de tudo, o Cavaco ainda tem algo de válido, pouco, mas tem. Eu acho que o Cavaco não tem nada, menos nada de válido.
    Entre o Cavaco e o Santana Lopes prefiro, de longe, muito de longe, o Santana Lopes.
    O único político que na minha opinião se bate com o Cavaco para o lugar de pior político português é o Durão...

    "Em tempos resolveu fazer uma rodagem ao carro e conquistou o PSD"
    Qual rodagem! Isto é uma das muitas hipocrisias do Cavaco. O Cavaco abandonou o seu lugar na Universidade para se dedicar de corpo e alma à conquista do PSD e depois veio com essa da rodagem numa época em que nem se fazem rodagens aos carros...
    "Teve aí o seu melhor período governativo e surpreendeu o país com o seu Governo minoritário."
    Falso. Foi tudo propaganda. Muito do que sofremos actualmente foi por causa do Cavaco. O caos nos impostos, por exemplo, foi em grande parte causado por duas reformas totais e muito mal feitas, a do IVA e a do IRS/IRC. Os disparates destas reformas ainda actualmente se fazem sentir.
    "Novamente com a ajuda do PRD conquistou a sua primeira maioria absoluta acabando de vez com o estigma da italianização do país."
    Falso. Cavaco ganhou o país com mais de 50%. O PRD já teve uma votação residual.
    Quanto a italianização, é curioso que apliques este termo e não apliques outros como dinamarquização, holandização ou suecização, países em que também há muitos partidos e onde governos maioritários são impossíveis...
    "Apesar das reformas tardarem e da fraca execução e fiscalização dos fundos de coesão (principalmente no que toca ao tecido empresarial) conseguiu trazer ordem às finanças de Portugal."
    ??? ordem às finanças? Boa piada. Na altura tinhamos deficits de perto de dez por cento!
    Além de que o desperdício bateu tudo. O CEntro Cultural de Belém foi orçamentado em 5 ou 6 milhões de contos. No fim fez-se para aí um terço do previsto (no previsto até se enterrava a linha de comboio) e gastou-se para aí uns 70 milhões de contos. E digo para aí porque a bagunça foi de tal ordem que não é possível fazer contas...
    "Apesar das reformas tardarem "
    Infelizmente não tardaram. Houve foi reformas totalmente catastróficas como as dos impostos.
    E esqueces outros crimes do Cavaco. Na educação, por exemplo ou na falta de médicos e de outros profissionais de saúde.
    Os médicos e enfermeiros que nos faltam agora seriam os que deviam ter ido para a Universidade no tempo do Cavaco!
    "A Administração Pública ganhou vícios e promoções automáticas que ainda hoje pagamos."
    Claro que isto não é assim. O problema foi que no tempo do Cavaco todo o lugar de chefia era lugar de confiança política e, estes trastes que controlavam a Função Pública em grande parte espatifaram-na!

    Por fim fazeres comparações entre o Guterres e o Cavaco é inadmissível. O Guterres, apesar de ser pró integração europeia, tinha grandes qualidades, qualidades que faltavam ao Cavaco. O país melhorou muito com o Guterres.
    Eu discordo totalmente do Guterres na sua beatice e nos seus propósitos europeus mas tenho de reconhecer de que a sua acção como Primeiro Ministro foi infinitamente melhor do que a do Cavaco.

     
  • At 12:21 da tarde, Blogger O Micróbio said…

    É impressionante a dor de coto quando se fala de Cavaco. Pela primeira vez na vida tivémos um primeiro-ministro que fez mais do que falar (nunca percebi pq razão a questão do tecnocrata ser depreciativo... sempre tive esta caracterização por positiva) e agora temos receio de que regresse? A esquerda não está habituada, sabe é perfeitamente que não tem ninguém com a capacidade do Cavaco. E isso ficou ontem bem demonstrado no Debate da Nação... pouco faltou para que António Seguro assegurasse a vitória do Cavaco.

     
  • At 1:00 da tarde, Blogger O Raio said…

    Caro Micróbio,

    Eu sei do que falo. Dizer bem do Cavaco é, desculpa dizer-to, um perfeito disparate.
    O Cavaco destruíu em grande parte este país.
    Não me vou repetir mas vou aclarar um pouco mais o problema do caos fiscal.
    Antes do Cavaco não havia IVA, havia imposto de transacções e não havia IRS/IRC, havia imposto profissional, complementar, etc.
    O IVA era obrigatorio por entrarmos para a então CEE. Mas não era urgente, a Grécia entrou antes de Portugal e só teve o seu IVA a funcionar depois.
    Mas a best... sorry, o Cavaco quis fazer um brilharete.
    Fez uma legislação à pressa e contratou uma empresa para a parte informática. Resultado, ficamos com uma legislação incompatível com o resto dos impostos e com uma empresa cheia de dinheiro e com o país na mão pois só ela é que sabia como isto funcionava e não dizia a ninguém.
    Depois destruiu-se toda a legislação anterior e substitui-se pelo IRS/IRC. Esta legislação tinha mais buracos que a Lua tem crateras e, na prática, era impossível cruzar as informações do IVA com as do IRS/IRC.
    Ainda há poucos anos isto era impossível. Agora não sei porque já estou afastado do assunto.
    Os prejuízos dados ao país por estes disparates deviam ser suficientes para levar o Cavaco a julgamento por incompetência criminosa.
    Claro que todos aqueles que ganharam fortunas fugindo aos impostos adoram o Cavaco.
    E, na minha modesta opinião só há duas razões para dizer bem do Cavaco, ou por se ter aproveitado da sua incapacidade ou por ignorância!
    Não leves a mal estas minhas observações. Mas eu até conheço por dentro muitos disparates da era cavaquista e é por isso que perco a cabeça quando leio coisas como a tua.
    Não é um problema de esquerda ou direita, é um problema de capacidade ou incapacidade. Conheço muita gente de direita inteligente e deve ser terrível para a direita estarem na situação de para ganharem as eleições terem de colocar um incapaz no mais alto cargo da Nação.
    E isso é que é terrível, a direita vai provavelmente dar o lugar ao Cavaco porque é a sua única hipótese de ganhar o lugar pois, além do Cavaco não têm ninguém para o lugar.

     
  • At 1:05 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Viva Ruvasa,

    Há uma onda de resignação e inevitabilidade na esquerda e na direita que eu tenho dificuldade em compreender. Até porque acredito que o perfil de Cavaco não se enquadra no perfil que a maioria de nós defende como ideal para o cargo.

    Abraço

     
  • At 1:06 da tarde, Blogger Didas said…

    Este gajo não me assusta como PR. Como dizes, é apagado. Desde que a D. Maria não se ponha de avental a assar carapaus até é capaz de fazer umas recepções que não dêem barraca e isso... Tá-se.

     
  • At 1:10 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Raio,

    Acho que não estamos de desacordo nesta questão. Eu é que não gosto de extremar as minhas opiniões porque quem esteve dez anos no poder tem algum crédito.

    Só uns reparos. Quando eu escrevo "Novamente com a ajuda do PRD conquistou a sua primeira maioria absoluta" não me refiro ao resultado do PRD nessas eleições mas à moção de censura que tanto jeito deu a Cavaco. E quando falo de "Italianização" não queria referir-me a maiorias absolutas mas a Governos a durarem pouco tempo. Quanto ao Centro Cultural de Belém não te esqueças do papel do Santana nele. Quanto ao Santana não concordamos mesmo. Quanto ao Guterres acho que no primeiro mandato houve um grande avanço em muitas áreas do país sendo dos melhores Governos do pós 25 de Abril mas o segundo mandato também foi do pior que eu já assisti.

    Abraço,

     
  • At 1:13 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Micróbio,

    Eu não encaro a política como se a luta entre esquerda e direita fosse o mais importante. Ninguém ganha quando o país perde. Prefiro um bom candidato de direita a um mau de esquerda e este não é claramente o caso. O perfil de Cavaco está no oposto do que deve ser o Presidente da República.

    Com a formação e personalidade de Cavaco que vai ele fazer? Interferir nas contas públicas? Reformular a Casa Civil para poder privatizar? Será que me consegues explicar o que faz dele um bom candidato?

    Abraço,

     
  • At 1:16 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Raio,

    Concordo com o teu segundo comentário e realço algo importante. Porque é que adireita não está a delirar com Cavaco? Provavelmente porque o desprezo do potencial candidato a toda a classe política (que ele ajudou a ficar medíocre com os seus elencos Governativos e parlamentares) irrita tanto a direita como a esquerda. Não é só a esquerda que está a recuar...

     
  • At 1:18 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Viva Didas,

    Eu usei o adjectivo apagado para não usar um mais forte. Mas não te esqueças que até as recepções podem dar "barraca" se alguém trouxer uma fatia de bolo rei, hehe

    Tá-se...

     
  • At 1:28 da tarde, Blogger David said…

    Cavaco surge como uma inevitabilidade para a direita e também para a esquerda e independentemente do que se pense acerca de Cavaco é minha convicção de que ele será o próximo PR.
    A esquerda queimou tantos candidatos a candidatos que agora só não apoia o Cavaco Silva porque...

     
  • At 2:22 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Viva David,

    A questão é importante. Poucos gostam do seu perfil mas todos parecem já ter aceite a sua inevitabilidade. Ainda não vi uma única pessoa a falar das qualidades deste candidato para o cargo. Não achas estranho?

    Fala-se sim muito de ser um homem providencial. Eu só pergunto se vai ser ele que vai rever o PEC e conduzir a política económica? Enfim... eu não me vou resignar!

    Abraço,

     
  • At 11:41 da manhã, Blogger O Raio said…

    Desta discussão sobressaíu uma questão interessante. Quais as qualidades de Cavaco para o cargo?
    O Presidente da República não governa, na nossa Constituição o Presidente da República tem poucos poderes (excepto o de dissolver a Assembleia) e, um candidato ao cargo tem de ser uma pessoa de que saiba falar com os outros, uma pesoa que faça "pontes", eu até diria um "sumo pontífice" mas não, estes termos já têm dono...
    Ora o Cavaco é o oposto disto tudo. É mesmo dos políticos portugueses dos que têm pior perfil para Presidente da República. Santana. Guterres ou até o Durão ficavam melhor na Presidência da República do que o Cavaco.
    E, realmente, o curioso é que ninguém fale das qualidades de Cavaco para o cargo. É que estas não existem e toda a gente o sabe a começar pela direita que o apoia!

     
  • At 12:26 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Raio,

    Essa é a questão que realmente interessa. Independentemente de gostar ou não de Cavaco eu acho que ele não tem perfil para o cargo. Assim como Sócrates nunca terá.

    Falta muito a Cavaco para poder ser um bom Presidente já que o seu perfil não é compatível com este cargo.

    Mas andam todos iludidos com a imagem que Cavaco tenta vender, a do homem providencial.

     
  • At 12:19 da manhã, Blogger NUNO FERREIRA said…

    O Cavaco, aquele esgar em vez do sorriso, aquela secura de pele e ossos, aquele cheiro a naftalina e a água benta...brrrrr...

     
  • At 12:19 da manhã, Blogger NUNO FERREIRA said…

    O Cavaco, aquele esgar em vez do sorriso, aquela secura de pele e ossos, aquele cheiro a naftalina e a água benta...brrrrr...

     

Enviar um comentário

<< Home