Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

sexta-feira, setembro 09, 2005

549. Tróia


Foto via Pura Economia (Clique na imagem para ampliar)

Este mega projecto que a SONAE está a construir em parceria com outros grupos económicos é um projecto arrojado. Por ser elitista e megalómano tem merecido imensas críticas mas, na sua maioria, injustificadas. Porque é um projecto privado (independentemente da génese do negócio) e porque a zona estava sub aproveitada e num abandono quase total. Não há qualquer tipo de razão económica ou social que justifique uma política pública neste local para a transformar numa zona de lazer menos elitista. O importante é a criação de 5000 postos de trabalho directos e 10000 indirectos, além do aumento (potencial) que vai provocar no turismo em Portugal.

Mas não posso deixar de comentar duas situações. A primeira tem a ver com o discurso de Belmiro de Azevedo. É, de facto, intolerável a burocracia do Estado. Por mais complexos ou numerosos que sejam os processos o tempo de análise destes não pode durar tanto tempo. O licenciamento deve ser feito com rigor (e infelizmente nem isso é) e não pode ultrapassar o ponto em que o investimento pode começar a perder a razão de ser (por exemplo em 8 anos pode haver alterações no perfil de viagens que o mercado alvo deste tipo de projecto está disposto a fazer). A ideia de dar prioridade aos PIN (Projectos de Interesse Nacional) é boa mas não pode ser um álibi para não serem feitos esforços para que os outros projectos tenham licenciamento (ou não) mais célere. A segunda situação foi o triste papel que Sócrates foi fazer a Tróia. Podia ir assistir a uma implosão mas escusava de participar numa festa privada com toda aquela pompa fictícia (com alavancas fictícias). Não é de admirar então que tenha tido que ouvir os empresários a fazerem, com altivez, puxões de orelhas públicos à ineficácia do Estado versus o paraíso que é o sector privado.

11 Comments:

  • At 11:27 da manhã, Blogger André Batista said…

    GOSTEI DO TEU BLOG! vOU TENTAR PASSAR POR CÁ MAIS VEZES! sEE YA!

     
  • At 11:56 da manhã, Blogger Armando S. Sousa said…

    Olá Ricardo,
    Finalmente uma solução para Tróia e uma solução de qualidade, que certamente vai fazer de Tróia um destino priveligiado no roteiro turístico de Portugal. Sobre a fraca figura dé Sócrates, já escreveste tudo.
    Um abraço.

     
  • At 12:01 da tarde, Anonymous Savonarola said…

    Concordo com a triste figura do Sócrates. Tenho é pena que este governo não tenha também a sua implosão. Um abraço

     
  • At 12:33 da tarde, Anonymous C. Indico said…

    1-É um investimento muito importante, não local, mas nacional.Turistas do 3º anel do Liverpool ou Ajax estamos cheios.
    2-Um caso exemplar das "maluqueiras á portuguesa"
    Explico: esta espera não tem 8 anos.Tem quase 30.Porque haviam milhares de portugueses, antes do 25/04,a partir de 1968,titulares de ocupação , com investimentos médios de 300 contos!
    Na altura era considerado um resort modelo, a nível europeu.
    3-Foi a resbaldaria que se sabe.
    4- Belmiro, e bem ,aproveitou-se da situação.
    5- Mas pagar 1$00 por cada titulo de 1.000$00 ? Terá sido justo?
    Eventualmente não havia alternativa?
    6-Os ex-admnistradores que mandaram fazer obras de recuperação e não pagaram ás várias empresas, encheram-se, onde estão?
    7-Portanto á demora, há que acrescentar estas roubalheiras impunes do Estado!
    8- Quanto ao papel de Sócrates, não gostei, mas não critico.
    Era convidado.Teve de ouvir pelos outros.
    Afinal,foi por pressão directa sua que este imbróglio já está resolvido.
    Haja esperança.

     
  • At 4:22 da tarde, Blogger O Micróbio said…

    Uma observação completa e extremamente elucidativa do dia de ontem!

     
  • At 9:47 da tarde, Anonymous Charago Esquerdo said…

    subscrevo tudo.

     
  • At 1:28 da manhã, Blogger Ricardo said…

    André,

    Gostei da parte em que escreves que vais "tentar"...

    see ya

     
  • At 1:29 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Savonarola,

    Por favor, até pareces anarquista...

    Abraço,

     
  • At 1:32 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Índico,

    Por alguma razão referi que não ia abordar a génese do negócio. É muita areia para o meu camião.

    O que é importante é que a situação foi desbloqueada e todos esperamos que seja uma iniciativa com sucesso...

    Abraço,

     
  • At 2:11 da tarde, Anonymous C.Indico said…

    Haja esperança!
    Eu tenho.

     
  • At 3:54 da tarde, Blogger xipsocial said…

    Os mamarachos que feriam a vista de quem se passeava por aquela bela zona desapareceram. No futuro é que não sei se as vistas irão melhorar!Por mim ficava assim e pronto. A zona costeira que vai até Melides encontra-se ameaçada por empreendimentos turísticos, que podem trazer muito capital mas levam uma paisagem selvagem única.

     

Enviar um comentário

<< Home