Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

780. Novo filme da saga 007 vai basear-se na história de... Jean Charles de Menezes


007 Daniel Craig

A saga do agente secreto mais conhecido do mundo, James Bond, agente 007, ao serviço de Sua Majestade e com licença para matar, vai mudar radicalmente no próximo filme. Pierce Brosnan foi substituído por Daniel Craig mas as mudanças não acabam aqui. Segundo os produtores esta saga vai ganhar um tom mais sombrio e realista.

Eu nunca fui um apaixonado pelo 007, que mesmo assim será sempre para mim Sean Connery, mas uma notícia no Expresso fez aumentar a minha curiosidade em relação ao próximo filme. Segundo este semanário, que inventa muitos factos políticos mas que, até à data, que eu saiba, nunca inventou factos cinéfilos, o argumento da próxima aventura de 007 (Casino Royale, título da obra Ian Fleming que serviu de inspiração para o agente secreto) baseia-se na história de... Jean Charles de Menezes.


Jean Charles de Menezes

Jean Charles de Menezes foi o brasileiro que foi confundido com um terrorista e morto por oito tiros à queima-roupa, logo após os acontecimentos no Metro de Londres. Segundo o Expresso, no filme, "Bond mata com vários tiros um suspeito de terrorismo, mas depois descobre que o homem era inocente". À semelhança do que fez a polícia britânica, "Bond tenta encobrir as suas responsabilidades, mas o crime fica registado nas câmaras de vigilância circuito interno do metropolitano, sendo as imagens transmitidas para todo o mundo".

Este ponto de partida para uma saga que corre poucos riscos políticos em relação ao mundo ocidental parece-me promissor. Claro que o fim na ficção será provavelmente diferente do da realidade mas, mesmo assim, parece-me um exercício interessante de exorcismo em relação ao que se passou. Segundo um produtor do filme, citado pelo Expresso, Bond será uma personagem "obscura e sórdida". Pode ser que esta nova vaga de filmes - muito críticos em relação às atitudes do mundo ocidental perante o terrorismo - comece a despertar consciências.

Technorati Tags: , ,

2 Comments:

  • At 6:56 da manhã, Blogger A. C. Sandino said…

    Acho é que tenta desculpabilizar a polícia inglesa do sucedido: até um dos heróis que mais vezes salvou o mundo poderia cometer um erro desses.
    Não vejo agora nem tenho esperanças de uma vaga no cinema como a que dizes.

     
  • At 12:36 da tarde, Blogger rsd said…

    por acaso ainda não reparei nessa bela "nova" sobre a saga "bond"...

    que muitas produções independentes e alguns arrojados projectos de dimensão assinalável (Munich) abordem a temática do terrorismo parece-me normal.

    mas que mainstreams como 007 o façam, isso é que me surpreende.
    Abençoada a hora em que Pierce Brosnan foi dar uma volta ao bilhar grande! É que apesar de preferir ver em tais vestes Clive Owen, Daniel Craig está para Brosnan como o 80 para o 8.

     

Enviar um comentário

<< Home