Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

domingo, fevereiro 19, 2006

788. Jorge Sampaio visto por Miguel Sousa Tavares


Jorge Sampaio

"(...) os seus discursos viveram sempre desta contradição insanável e desesperante entre o que dizia e a sensação de absoluta inutilidade do que dizia. Basta atentarmos ao último exemplo em data: o que sucedeu com o ultimado ao procurador-geral da República para que 'num prazo curtíssimo', esclarecesse como é que, no âmbito do processo Casa Pia, o Ministério Público entrou na posse da lista dos telefonemas particulares efectuados por um vasto leque de políticos que nada liga ao processo, naquilo que o próprio Presidente classificou como 'uma forma intolerável de intromissão na reserva privada dos portugueses, que não pode passar em claro'? Sucedeu que, uma semana decorrida, Souto Moura foi a Belém segredar qualquer coisa ao Presidente, que aparentemente se deu por satisfeito, nunca mais tendo falado no assunto. E, entretanto, o 'curtíssimo prazo' já ultrapassou um mês e, como é habitual, o procurador confundiu o que está em causa: em vez de investigar quem obteve e quem facultou essa lista, resolveu investigar o jornal que deu a notícia."

(...)

"Há uma substancial, e não apenas subtil, diferença entre o que foi a 'magistratura de influência' de Mário Soares e a de Jorge Sampaio. Talvez porque Soares tinha um peso político próprio, aqui e lá fora, que Sampaio nunca teve. Talvez porque Soares, ao contrário de Sampaio, concentrou-se no essencial e não se dispersou em milhares de temas, desgastando-se em palavras e mais palavras, ao ponto de já quase ninguém as escutar. Mas, sobretudo, porque Soares não viu o cargo como um púlpito do politicamente correcto ou uma eterna fábrica de consensos, onde tantas vezes o que se exigia era rupturas e escolhas. A grande desilusão que me fica dos anos de Sampaio em Belém é a sensação que ele deixou instalar de que o cargo é perfeitamente inútil."

(...)

"Este frenesim condecorativo assenta como uma luva no perfil político de um Presidente que não foi capaz de dar uma lição pública a Durão Barroso, não foi capaz de dizer não a Santana Lopes, que não foi capaz de meter na ordem democrática Alberto João Jardim e nem sequer foi capaz de despedir o procurador-geral da República. Foram dez anos vividos a cultivar os seus queridos 'consensos' - com o bom, com o mau e com o insustentável. E está à vista de todos o que o país regrediu nestes dez anos de consensos. Valha-nos que, ao menos, não faltam comendadores!"

Miguel Sousa Tavares, Expresso, 18 Fevereiro 2006

Se quiserem ler Jorge Sampaio visto por mim: O definhar do Semi Presidencialismo

9 Comments:

  • At 7:39 da tarde, Blogger Fernando said…

    Concordo. Contigo e com o Miguel Sousa Tavares.

     
  • At 9:25 da tarde, Blogger H. Sousa said…

    O mais "apagado" de todos. Tendo a dar razão a MST.

     
  • At 10:25 da tarde, Blogger pedro oliveira said…

    Concordo mais contigo que com o senhor Tavares.
    A tua análise está bem estruturada e fundamentada a dele são umas bocas que qualquer um de nós mandaria numa mesa de café.

     
  • At 11:07 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Pedro,

    Em relação ao meu texto há uma actualização: o caso "Envelope 9"!

    Subscrevo a visão de MST.

    Abraço,

     
  • At 11:30 da tarde, Blogger Ruvasa said…

    Viva, Ricardo!

    O marquee está ok, sem dúvida.
    Não queres, porém, alargar um pouco - apenas um pouco - as letras?

    Abraço

    Ruben

     
  • At 11:53 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Viva, Ruvasa!

    Antes de mais volto a agradecer a ajuda técnica.

    Já segui a sugestão. Espero que o marquee - estou sempre a aprender - esteja mais legível agora. O tamanho da letra continua baixo porque não quero que seja o centro das atenções mas aumentei um pouco.

    O problema do tamanho das letras e do aspecto do blogue é que este varia conforme o browser que estou a usar ou do computador que estou a consultar. Às vezes, aparentemente, está tudo bem e consulto o blogue doutro computador e até fico assustado.

    Quando tentei instalar o marquee da primeira vez - antes de pedir ajuda - no Firefox estava a funcionar e avisaram-me que o blogue andava a viajar com o marquee no internet explorer. Todo o texto ia da direita para a esquerda.

    Por isso as sugestões são sempre bem vindas.

    Mais uma vez obrigado.

    Abraço,

     
  • At 10:20 da manhã, Blogger H. Sousa said…

    "Todo o texto ia da direita para a esquerda." Só o texto? Ehehehe!!!

     
  • At 1:47 da tarde, Blogger Rui Martins said…

    Todo o consulado de Sampaio deixa este intenso sabor a desinteresse e demissão sistemática das responsabilidades de um Presidente que deixou como maior marca para a posteridade a responsabilidade pela chegada ao poder daquele que foi o pior PM da História de Portugal: Pedro Santana Lopes. Por isso e pelo silêncio enquanto Guterres malbaratava aquela que foi provavelmente a última grande oportunidade de Portugal.

    Fica um PR marcado pela inacção. Veremos agora se Cavaco não ficará marcado pela... Acção. Mas demasiada...

     
  • At 12:36 da manhã, Blogger Mais Notas Soltas said…

    E parece que MST se esqueceu das pantominas de Sampaio em relação a Macau e da forma como o general Rocha Vieira fez dele gato-sapato, obrigando-o até a condecorá-lo.

     

Enviar um comentário

<< Home