Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, setembro 11, 2006

900. Sim, mas...



Não consigo descansar sem tirar algo a limpo. Quem mais, para além de mim, acha que o nosso Presidente da República é a personagem mais monótona e entediante que invadiu os nossos lares no tempo mais recente? Ainda digo mais, serei o único que acha que o nosso distinto Presidente da República consegue destacar ainda mais a inconsequência do seu cargo?

Durante a campanha eleitoral para a eleição do PR li, em muitos blogues e artigos de opinião, que este era o homem ideal para obrigar, pela sua exigência, Sócrates a imprimir um ritmo diabólico de reformas. O que assisto, porém, é o aliviar da compressão por parte do Governo perante um PR averso a qualquer tipo de agitação das águas. Li, também, que o nível de exigência do Professor na aprovação das leis era altíssimo mas, até agora, só assisto a muitos nim, ou melhor, como já li no Expresso e que encaixa perfeitamente na actuação de Cavaco Silva, é o PR do “sim, mas...”. A moda do PR em tecer comentários e lançar dúvidas sobre a lei que acaba de aprovar parece que veio para ficar. Tudo em nome da "estabilidade dinâmica" que eu prefiro chamar de estabilidade podre.

Mas o que torna o nosso PR mesmo chato é este insistir em esvaziar os partidos políticos de ideias bem definidas para o país. Tudo fica enfadonho quando parece que só há uma via. Cavaco Silva bem avisou que “duas pessoas sérias com a mesma informação têm de concordar” e, então, promove entendimentos sobre todo e qualquer assunto e suspeito que, qualquer dia, PS e PSD vão ter que concordar que devem desaparecer e darem lugar ao partido Portugal. Continuidade sim mas unanimismo não. Comprometer os principais partidos a um rumo estreita a capacidade de criar rupturas, de criar novas energias na alternância, de criar o distanciamento necessário para romper vícios.

Cavaco Silva não percebe a utilidade do contraditório perante um acontecimento único - e temo que nunca vá perceber - e, entretanto, cada vez fica mais intenso o odor fedegoso das águas estagnadas em Portugal...


Tópico Relacionado:
Março 19, 2006 815. O Bloco Central e Cavaco Silva

12 Comments:

  • At 9:56 da tarde, Blogger sabine said…

    Concordo totalmente ctg.

     
  • At 8:15 da manhã, Anonymous Savonarola said…

    Concordo. Esta inacção presidencial é assustadora, num país governado por uma "maioria" estável. O Cavaco contribui para este adormecimento do regime e para esvaziar de conteúdo a função presidencial. Por esta ordem de ideias, mais valia termos um regime puramente parlamentarista...

     
  • At 10:20 da manhã, Anonymous Netwalker said…

    Os acordos só vêm dar razão a quem acusa o PS e PSD de serem partidos Iguais!
    Quem sabe num futuro proximo tenhamos o PS-SD.

     
  • At 12:07 da tarde, Blogger Macambúzia Jubilosa said…

    Eu nem dou pela existência do senhor em questão.

    E quando dou, vejo-o mais a fazer o papel de mediador e de apaziguador que outra coisa...

    Mas não me surpreende. Não me esqueço duma entrevista que saiu (no Expresso penso) em que pergutavam a todos os candidatos à Presidência se concordavam com o casamento entre Homossexuais. Todos dizeram que sim. Cavaco Silva disse "Talvez". Mas o que é um "talvez"? Acho que isto diz tudo e define a pessoa em questão.

    Se se dizia que o Jorge Sampaio era um "banana" que dizer deste, que nem é da mesma cor politica que o governo...

    Enfim...esbatem-se as cores e ficamos com uma única, assim de um rosa alaranjado.

     
  • At 2:44 da tarde, Blogger Caracol Amarelo said…

    Não, Ricardo. Não és o único.

    Nairobi

     
  • At 9:50 da tarde, Blogger Nuno Guronsan said…

    Cada um merece o PR que elege. Podia ser pior, podíamos morar todos nos EUA. Dito isto, Ricardo, é óbvio que não podia concordar mais contigo. Cada vez penso mais que o homem vai ficar por Belém os famigerados dez anos...

     
  • At 11:22 da manhã, Blogger Barão da Tróia II said…

    Como PM já era secante, como PR é uma coisa impronunciável pelo devido respeito que merece enquanto mais alto dignitário da nação.

     
  • At 2:15 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Concordo plenamente consigo, ninguém se interessa pelo destino deste país, paz á sua alma.touaqui

     
  • At 6:19 da tarde, Blogger Bruno Gonçalves said…

    "Podia ser pior, podíamos morar todos nos EUA."

    Bem, nos EUA não existem Cavacos do tipo dos que desaparecem durante semanas e debitam futilidades numa atitude de completa inutilidade presidencial...

     
  • At 1:45 da manhã, Blogger O Raio said…

    Caro Ricardo,

    Dizer que o Cavaco é chato é talvez o único elogio que li sobre o apagado personagem desde que ele tomou pose do cargo.
    Não, Cavaco não é chato, é cretino e incapaz e ainda não percebeu (e provavelmente não perceberá) o que é ser Presidente da República.

    Um abraço

     
  • At 4:24 da tarde, Blogger Nuno Guronsan said…

    Amigo Bruno, deves com certeza saber que nenhum presidente na história (jovem) dos EUA gozou tanto tempo de férias como o sr. W. Bush. E apesar de tudo, prefiro ter um presidente "missing in action" algures em Boliqueime que um presidente com as mãos tremendamente sujas de tanto sangue...

    E bem-vindo sejas de volta ao mundo blogosférico ;)

    (desculpa lá, Ricardo, a "invasão" do teu espaço:)

     
  • At 5:52 da tarde, Blogger O Raio said…

    Como isto já está! A melhor defesa que aparece por aqui do Cavaco é do Nuno que diz que é melhor um Presidente inútil de que um Presidente assassino.
    Para falar confraqueza isto não me consola lá muito.
    Além de que acho que o Cavaco não está parado. Está a agir mal mas está a agir.
    Depois de ter estragado o país quando foi Primeiro Ministro prepara-se para continuar o trabalho, agora como Presidente da República.

     

Enviar um comentário

<< Home