Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

1015. Alguém ainda duvida...

... que é do interesse de todos que se façam eleições intercalares na autarquia da capital? Mas há um cheiro no ar que indica que o problema não é só político.

A somar ao "caso Bragaparques" e ao "caso EPUL", temos agora o "caso Gebalis" (fala-se de “má gestão” e “absoluto descontrolo dos custos”). Veja-se o que o relatório sobre a Gebalis contém:

- “fraccionamento sistemático das empreitadas, sem justificação, para evitar a aplicação do concurso público, privilegiando sem razão o convite directo a um núcleo restrito de empresas”;

- “adulteração do valor base para concurso proposto pelo projectista, sem alterações ao projecto que o justifiquem”;

- “adjudicação a determinadas empresas por valores muito superiores ao valor real dos trabalhos, em detrimento de propostas anuladas, em iguais condições de garantia, por valores inferiores”;

- “facturas de trabalhos a mais no valor de 150 mil euros”;

- [pagamento a um fornecedor avençado] “preços de materiais muito superiores aos praticados no mercado, chegando a atingir 50 vezes esse mesmo valor”.

via Expresso

O problema é que nenhum partido sai deste mandato com credibilidade. Há clara promiscuidade entre o poder local lisboeta, talvez extensível às distritais dos partidos, e os empresários que orbitam - e vampirizam - os recursos camarários. É preciso ser equidistante e perceber que algo vai muito mal na relação entre diversos partidos e empresários na capital que não se resolve só com eleições - que são inevitáveis - mas também com a intervenção da justiça na investigação da dimensão do que se passa. Será que a Polícia Judiciária e o Ministério Público vão ter liberdade para isso?

Etiquetas: ,

2 Comments:

  • At 11:37 da tarde, Anonymous Fernando said…

    "O problema é que nenhum partido sai deste mandato com credibilidade."
    Como?
    Ai sai, sai... sai José Sá Fernandes (e em consequência o BE). Sá Fernandes tem desenvolvido um trabalho a todos os níveis exemplar.

     
  • At 1:24 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Fernando,

    Tens toda a razão. Fica aqui feita a devida correcção.

    Abraço,

     

Enviar um comentário

<< Home