Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

sexta-feira, outubro 14, 2005

587. O país refém da luta entre os "carteis" dos medicamentos e o Governo!



A reforma no preço dos medicamentos só está a prejudicar os... consumidores. Entalados numa guerra entre Ministro e Laboratórios a situação começa a ficar grave para os consumidores de medicamentos. O Ministro da Saúde, Correia de Campos, preparou uma lei que reduzia as margens de lucro dos laboratórios e, ao mesmo tempo, diminuía a factura do Estado. Não vou avaliar a qualidade da lei porque não tenho formação e informação adequada para o fazer. Mas posso avaliar a ética das medidas da Corporação:

- os medicamentos não estão a ser disponibilizados para venda fora das farmácias;

- os medicamentos aumentaram seis por cento (individualmente em proporção da antiga margem);

O Ministro da Saúde já recorreu à Autoridade da Concorrência. Estamos perante uma situação inaceitável! Cada vez mais é visível que as Corporações só servem para criar mecanismos de vampiresca apropriação dos recursos do Estado e que não defendem os seus consumidores. Em qualquer negócio do mundo o consumidor é o mais importante mas aqui não porque há uma inversão do funcionamento normal dos negócios, ou seja, o consumidor tem que obedecer para poder sobreviver e a corporação vive em cartel logo não tem que se preocupar com a insatisfação deste. E também é visível que se o Governo quer ter sucesso em certas reformas tem que ter um maior diálogo com os afectados mesmo que não abdique do objectivo final. Não é difícil prever tempos difíceis na área da saúde...

P.S. Autoridade da Concorrência condena cinco farmacêuticas a pagar multa por cartelização (um comportamento reincidente e admitido pela Roche, uma das farmacêuticas condenadas)

Fontes: Câmara Corporativa, Bodegas, Público

2 Comments:

  • At 5:56 da tarde, Blogger mfc said…

    Ao menos aplicaram-lhes para já uma coima e não foi tão pouco como isso...
    Mas quem se vai tramando é o Zé Pagante!!

     
  • At 1:13 da tarde, Anonymous Charago Esquerdo said…

    vamos lá ver se Correia Campos vai ter a coragem de romper o acordo com a indústria farmaceutica como veio a lume. Custa-me acreditar que tenham essa coragem, quando se sabe da dependência do Estado, (os atrasos e as dividas nos pagamentos são enormes)a esse loby poderosissimo.

     

Enviar um comentário

<< Home