Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quinta-feira, dezembro 22, 2005

670. Diário das Presidenciais 2006 (9)



"O que diriam os estrangeiros?"
Cavaco Silva, no debate com Mário Soares

Fiquei a pensar nesta frase! Juro que fiquei! Fez-me lembrar do que ensinavam aos nossos avós, isto é, sempre tivemos um certo complexo de inferioridade em relação ao que vinha de "lá de fora"! E o português tem, ao fim e ao cabo, esse "complexo".

Tentei lembrar-me se Cavaco cometeu um lapsus linguae ou se é algo impresso no seu pensamento. Lembrei-me do "Cavaquismo" e não consegui deixar de pensar na teoria do "bom aluno" da Europa. Durante essa fase da nossa vida política fomos os mais brilhantes alunos do que defendiam "lá fora"! Eu não defendo a "rebeldia" do nosso país mas custa-me que esteja a ser defendida uma mentalidade de puro seguidismo em relação ao que vem de "lá de fora".

Depois lembrei-me duma outra frase de Cavaco durante a "conversa" com Soares sobre o modelo de debate. Cavaco lembrou que éramos o único país que tinha aquele tipo de debate caótico e que "lá fora" este modelo já era usado com sucesso há vários anos e que não devíamos ter complexos em usar o que já foi experimentado com sucesso "lá fora" (confio na minha memória para reproduzir o sentido da frase). O que eu pergunto é se o nosso modelo de debates não permitia um esclarecimento eficaz de ideias? É que, durante décadas, fez-se história e houve debates magníficos usando o "nosso" modelo. Porque precisamos de importar de "lá de fora" um modelo que não tem nada a ver com a forma como vivemos a política?

Aconselho que estes resquícios de complexo de inferioridade que herdámos do Antigo Regime sejam suprimidos da nossa mentalidade!

P.S. Não estou a defender que não devemos importar nada! Devemos importar o que funciona melhor. O que é importante é não pensarmos tanto no que os "outros" pensam do que estamos a fazer.

10 Comments:

  • At 2:44 da manhã, Blogger Vítor Sousa said…

    Óh Ricardo, desculpa o desvio, mas no blogue "Elogio do Silêncio" deparei-me com este nome: Élvio Paixão. Tu conheces esse maluco? Fomos colegas em Psicologia, no Algarve. Que saudades...
    Abraço.

     
  • At 3:10 da manhã, Blogger lazuli said…

    Ricardo realmente estamos feitos eo bife, em bom português.

     
  • At 4:31 da tarde, Blogger O Raio said…

    Caro Ricardo,

    Choca-me ver gente a apoiar o Cavaco e a dizer, sem vergonha, que vão votar nele.

    Sem ofensa aos originais habitantes dos arredores de Lisboa que deram origem ao termo "saloio", o Cavaco é nitidamente o prototipo do saloio.

    Formou-se em Economia, tirou um doutoramento em Inglaterra, o que é louvavel, e a partir de aí embascou-se, parou a sua carreira universitária, fez fretes a toda a gente e está a ser promovido por quase toda a Comunicação social.

    Por mim envergonhar-me-ei se alguma vez o meu país tiver um Presidente como o Cavaco e recuso-me a acreditar nas sondagens que nos são apresentadas. Não é possível, o povo português não é tão bronco assim!

    Um abraço

     
  • At 5:39 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Vítor,

    Conheço sim esse "maluco". Vou já pedir-lhe informações sobre ti, hehe! Mas quem o conhece melhor é o meu irmão...

    Abraço,

     
  • At 5:40 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Lazuli,

    Tens toda a razão... mas continuo a defender que temos o que merecemos.

    Um beijo,

     
  • At 5:46 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Caro Raio,

    Ao contrário de ti não fico "chocado" com nada! Todos os candidatos são legítimos e todos têm a sua base de apoio por motivos mais ou menos lógicos.

    O que eu defendo (e parece-me que tu também) é que estamos perante um candidato que está envolto numa "aura" que tem pouco a ver com a pessoa "real". E ainda por cima tem uns certos tiques de conservadorismo moral que eu gostava que já tivéssemos ultrapassado. Mas apesar da minha clara e fundamentada discordância com o candidato nao defendo a teoria de que fica algo em perigo com a sua eleição. Não demonizo ninguém a menos que ache que valores fundamentais estão em risco. E isso não acho que vá acontecer, apesar das minhas dúvidas de que Cavaco saiba realmente o que é um Presidente da República.

    Quanto à sua carreira académica concordo que está claramente sobrevalorizada.

    Abraço,

     
  • At 5:54 da tarde, Blogger MigDeF said…

    ricardo, devemos ser o povo que mais se importa com a sua imagem externa - sobretudo nas gerações mais velhas, parece-me. Não tem explicação!

    raio, há que ser democrata... Essa tentativa de diminuir Cavaco é ridícula (até parece que conseguiu o que conseguiu, pessoal e politicamente, por mero acaso). Como disse Vasco Pulido Valente (cito de cor um artigo que escreveu há uns meses no Público, quando Soares veio com o argumento de o Presidente ter de ser um humanista), o critério para escolher o Presidente dificilmente poderá ser o de saber comportar-se à mesa ou falar de grandes correntes estéticas. Eu vou votar Cavaco e confesso que a minha reacção a uma eventual vitória de Soares é muito semelhante: não conseguiria nunca compreender a preferência por alguém que me parece um mero "politicão" (como diria o meu pai), daqueles que quer muito mais participar nas intrigas de poder do que estudar dossiers, analisar estratégias, delinear soluções. Não, não conseguiria compreender. Mas essa é a natureza - e quiçá a beleza - da Democracia: vontade da maioria, respeito das minorias.

     
  • At 5:56 da tarde, Anonymous bravo said…

    Concordo com o comentário anterior e aproveito para desejar um Óptimo Natal!

     
  • At 7:42 da tarde, Blogger Ricardo said…

    fmb,

    Exactamente! Não percebo esse "complexo" português. E era melhor que os candidatos a Presidente não o alimentassem!

    A propósito - metendo o nariz onde não sou chamado porque dirigiste a resposta ao Raio - não resisto perguntar se assinas por baixo todas as crónicas de Vasco Pulido Valente nesta campanha? Ia ser engraçado se dissesses que sim, ;).

    Abraço,

     
  • At 7:43 da tarde, Blogger Ricardo said…

    bravo,

    Qual é o teu nick no Arquipélago dos Gladiadores ;)?

    Um Feliz Natal,

     

Enviar um comentário

<< Home