Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

domingo, janeiro 16, 2005

(293) É um prazer conhecer-te, Titã... o que é que nos queres contar?


(Clique sobre a imagem para ampliar)




Que valor estamos dispostos a dar por uma fotografia dum planeta satélite de Saturno? Valerá a pena gastar “rios de dinheiro” na exploração do espaço ou devemos concentrar os nossos recursos nos problemas terrestres, como defendia Saramago no discurso de aceitação do Nobel da Literatura? Eu acho que é dinheiro bem gasto, porque é demagógico pensar que não podemos investir no conhecimento enquanto não temos resolvidos os problemas da Terra. Se assim fosse viveríamos ainda a pensar que a Terra era o centro do Universo e que o Sol era a lâmpada de Deus.

Mas a verdade é que muitos recursos foram gastos para conseguir fotografias como a que publico neste post. Mas como diria Carl Sagan para quê pisar um planeta que já se sabe tudo (a Lua) quando sabemos tão pouco de Titã, com a sua atmosfera única. Carl Sagan seria hoje um homem feliz! Para Sagan a busca de formas de vida não era inútil nem improvável, nem estas formas de vida seriam uma versão de terráqueos, mas poderiam ser, por exemplo, uma forma gasosa. Vale a pena tentar matar a curiosidade, porque a vida não tem sentido sem ambição pelo conhecimento!

Queria dar os parabéns à Agência Espacial Europeia por este feito memorável!

*Tópicos Relacionados
As imagens foram retiradas do sítio da Agência Espacial Europeia e o texto do Carl Sagan dum artigo de nome “O Caminho das Estrelas”, de Fernanda Pratas

(4) – Quando a Terra não era redonda

9 Comments:

  • At 5:21 da tarde, Blogger João said…

    Queria deixar uma mensagem de parabéns pelo seu blog. Prometo visitas assíduas e alguns "comments" de por meio. Visite http://despojos.blogspot.com

    Abraços

     
  • At 8:42 da tarde, Blogger mfc said…

    Cada vez passará a haver mais explicações... e os milagres continuarão a escassear!

     
  • At 11:33 da tarde, Blogger O Raio said…

    Até que enfim vejo a Europa servir para qualquer coisa...

     
  • At 10:40 da manhã, Blogger O Micróbio said…

    "Vale a pena tentar matar a curiosidade, porque a vida não tem sentido sem ambição pelo conhecimento!"... Curiosity kill the cat... :-))

     
  • At 11:01 da manhã, Blogger pindérico said…

    Ainda tenho excessivamente frescas as imagens do tsunami para aceitar de barato estas prioridades.

     
  • At 12:16 da manhã, Blogger Ricardo said…

    mfc... a questão essencial é essa. Só há milagres pela ignorância do homem, por aquilo que este não consegue explicar. A busca pelo conhecimento tem esse papel, ajudar-nos a compreender o mundo!

     
  • At 12:17 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Raio ... e para mais algumas coisas que seriamente temos que considerar. Uma discussão para outra altura e em constante actualização!

     
  • At 12:19 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Micróbio ... é impressão minha ou a curiosidade do homem não tem limites? Por isso o conhecimento que o homem tenta alcançar pode ser sempre maior!

     
  • At 12:23 da manhã, Blogger Ricardo said…

    pindérico ... não podia estar em mais profundo desacordo contigo! Temos que ser racionais na busca do conhecimento mas não podemos pensar, em cada decisão que tomamos, na situação dos outros. Se assim fosse não havia lógica de sequer haver países nem conseguíamos reproduzir o nosso rendimento. O mundo não é justo mas pode ser solidário sem se esquecer que temos que pelo menos tentar lutar pela busca do conhecimento.

    Nessa lógica a Europa não podia, por exemplo, gastar biliões de euros no aperfeiçoamento dos seus aviões porque tinha primeiro que pensar nos pobres. Daí resultava perda da competitividade europeia e mais pobres na Europa. temos que arranjar um equilíbrio num mundo injusto!

     

Enviar um comentário

<< Home