Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

quarta-feira, junho 08, 2005

(443) Ironias

Posso até concordar que é legítimo que se vote “Não” por causa do estado actual da União Europeia e não por causa do conteúdo do tratado. A ser assim acho que temos que reflectir sobre a real utilidade dos referendos com perguntas directas e específicas mas isso é uma discussão para outro dia (começo a achar que é nula, apesar de também concordar que a representatividade parlamentar também está em crise)! Acaba por ser irónico é que o “Não” represente a manutenção da União Europeia tal como está, ou seja, exactamente o que se está a chumbar segundo esta lógica! Ironias da vida...

P.S.: Aconselho a leitura das opiniões de Vital Moreira (VM) no blogue Causa Nossa sobre o conteúdo do Tratado Constitucional para exorcizar alguns demónios que andam a ser evocados para descrever o tratado (liberal, castrador das soberanias nacionais).

P.S. 2: Continuo a defender o fim dos referendos e o “enterro” deste Tratado, apesar de continuar a defender o seu conteúdo, para evitar "crises" maiores na UE.

8 Comments:

  • At 3:33 da manhã, Blogger O Raio said…

    Ricardo,

    "Continuo a defender o fim dos referendos e o “enterro” deste Tratado, apesar de continuar a defender o seu conteúdo, para evitar "crises" maiores na UE."

    Não percebi, defendes o fim dos referendos para evitar crises maiores da UE ou o enterro deste Tratado (curioso, a palavra Constituição até parece que está a passar de moda) para evitar crises maiores na UE?

     
  • At 1:01 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Raio,

    Para melhorar a clareza da frase:

    1. Achava o "tratado constitucional" um bom texto para a Europa;

    2. Depois dos referendos defendo que o texto "morreu" ou nunca "nasceu";

    3. Defendo o fim do processo de referendos para que a crise não se alastre à UE;

    4. Eu aceito democraticamente os resultados dos referendos mas, só por causa disso, não vou deixar de defender o que acredito;

    Quanto à ironia o que é curioso é que quem não estava satisfeito com o estado actual da UE votou para que ela ficasse na mesma. Como disse, ironias da vida!

     
  • At 5:33 da tarde, Blogger O Raio said…

    Ricardo,

    "Quanto à ironia o que é curioso é que quem não estava satisfeito com o estado actual da UE votou para que ela ficasse na mesma. Como disse, ironias da vida!"

    Este é um dos argumentos que começa a surgir entre os adeptos da integração.
    Os Tratados anteriores deixaram de ser maravilhas e passaram a ser poços de defeitos que tinham de ser corrigidos...
    Quanto ao que chamas ironia, não tem nada de ironia.
    Se eu não estava satisfeito com o que tinha não era tendo mais do mesmo que me fazia satisfeito!
    Para já trava-se o monstro, do mal o menos. Depois discute-se o que está para trás.

     
  • At 8:34 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Raio,

    Eu não escrevo nada só para escrever algo que vá de encontro ao meu ponto de vista.

    Tu falas em argumento a começar a surgir... já o defendo há imenso tempo! Nice foi um desastre...

    "Nem me fales do Tratado de Nice. Era mais uma das razões porque íamos retirar vantagens deste tratado Constitucional, ou seja, o fim do sistema de votação criado em Nice."
    31 Maio

    Nunca escrevi nada elogioso sobre esse tratado.Basta ires ao meu motor de busca.

    Abraço,

     
  • At 8:35 da tarde, Blogger Ricardo said…

    P.S. Chega de falar no "Monstro". Já basta o outro "monstro"...

     
  • At 1:08 da manhã, Blogger O Raio said…

    Ricardo,

    Eu não disse que dizias bem do Tratado de Nice, disse que o argumento que usastes "já começava a surgir entre os adeptos da integração". Não me refria a ti.
    Mas ultimamente tenho ouvido muitas vezes o que era curioso, se Nice era tão mau porque é que foi assinado?

    Um abraço,

     
  • At 3:46 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Raio...

    Boa pergunta... porque terá sido assinado? É muito complexo e pouco intuitivo, digamos que foi um Tratado que tentou equilibrar tudo e não foi capaz de fazer concessões a nenhum país. Já não tenho a mesma opinião do já defundo "Tratado Constitucional"...

    Abraço,

     
  • At 6:05 da tarde, Blogger O Raio said…

    Ricardo,

    O Tratado de Nice foi assinado porque a Europa não pode parar...

    Bom, acho que houve outra razão e muito importante.

    A estratégia da UE tem sido o de avançar no que pode, mesmo sabendo que é um erro para depois se ter a necessidade de se corrigir o erro.

    Entretanto já se enrodilhou tudo um pouco mais...

    Um abraço,

     

Enviar um comentário

<< Home