Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

terça-feira, novembro 01, 2005

605. O insustentável peso duma acusação



Já sou leitor do blogue Hollywood há bastante tempo. É o blogue onde procuro, em primeiro lugar, informações sobre o que estreia nos cinemas, sobre as notícias da Sétima Arte e onde procuro, com muita curiosidade, as opiniões mais recentes do Miguel. Não se trata de concordar ou não com a sua opinião - muitas vezes discordo - mas porque o Miguel é profissional no que faz, ou seja, não é profissional no sentido literal em que é pago para sê-lo, é profissional porque leva o cinema a sério e porque fez do Hollywood um espaço que é quase uma revista. Uma revista porque é capaz de introduzir críticas, notícias e antevisões com uma regularidade impressionante e, acima de tudo, com imensa qualidade o que só é possível quando se ama mesmo o que se faz. É impressionante, por exemplo, o acompanhamento que fez na noite de Óscares, as suas dissertações sobre a Nouvelle Vague ou até a sua defesa apaixonada da obra de Clint EastWood. O passado no cinema é de tal forma importante que, duma forma regular, o analisa e tantas vezes compara tudo o que é comparável entre o que realizadores actuais fazem e o que já foi feito no passado.

Sobre tudo isto já escrevi! Podem consultar aqui o que escrevi sobre o blogue em Dezembro de 2004!

Pela paixão que o Miguel tem pelo seu trabalho e pelo seu blogue eu consigo imaginar como se deve estar a sentir quando é acusado de plágio. Em traços largos o que se passou foi que no blogue A Paixão do Cinema foi publicado um post com o título "Será a Pornografia um Género Cinematográfico" tendo prontamente o Miguel elogiado o post e avisado que já tinha planeado escrever um post sobre o mesmo tema e que tinha ideias muito parecidas. Esse post foi publicado no Hollywood e, apesar das semelhanças, o Miguel tem uma abordagem diferente do tema, mais centrado no género. Foi então acusado de plágio!

Quero sublinhar que a nenhum de nós pertence um tema e que nenhum de nós está a descobrir a pólvora. Basta comparar as críticas a certos filmes e poderia dizer que metade do mundo está a plagiar a outra metade. Mas não digo porque sei que todas as ideias, hoje em dia, são recicladas e a originalidade está na forma como as expomos e não tanto no que defendemos porque tudo já foi inventado. Conheço o trabalho do Miguel há tempo suficiente para saber que ele pensa pela sua cabeça. Em nenhum momento assisti a um deliberado exercício de apropriação de ideias e, quanto muito, ele é influenciado por tendências de pensamento dominantes, como todos nós somos!

Não escrevo este post por ser amigo do Miguel - não o conheço pessoalmente - nem por fidelidade a alguém que me visita mas porque sei que o trabalho do Miguel não pode ser posto em causa desta forma. Os blogues são um espaço agradável de liberdade e é saudável haver concorrência - não no protagonismo, mas na qualidade - mas não podemos fazer acusações de forma imponderada porque todos sabemos que bebemos a nossa inspiração de algum lado e que é natural haver opiniões parecidas em muitos temas. Por isso sei que tudo isto não passa dum desagradável episódio que em nada deve afectar o juízo sobre o trabalho de ambos os autores dos blogues. Mas deve ficar como um aviso porque com a liberdade vem a responsabilidade e devemos ter cuidado antes de apontar o dedo.

Eu sei que o que se passou é grave e desmotivador mas também sei que o Miguel vai saber ultrapassar esta situação no mínimo incómoda para quem leva o que faz a sério. E, quem sabe, tudo resolve-se onde começou, ou seja, na blogosfera para que estes dois blogues continuem a emitir opiniões interessantes sobre a Sétima Arte.

Continuação dum excelente trabalho, Miguel!

P.S. Será que posso acusar de plágio quem anda a chamar o Cavaco de ser o novo Dom Sebastião ou será que sou eu que vou ser acusado?

1 Comments:

  • At 2:19 da tarde, Anonymous Miguel Lourenço Pereia said…

    Caro Ricardo!
    Obrigado pelas palavras amigas e simpáticas. Realmente uma acusação destas é incrivel. Mas com as palavras de apoio e encorajamento de todos os amigos que vim fazendo na blogosfera, todo o apoio que foi dado, vai ser mais fácil superar esta tentativa de rombo na minha honra e valor.
    Mais uma vez obrigado meu caro!

    um abraço
    Miguel Lourenço Pereira

     

Enviar um comentário

<< Home