Filho do 25 de Abril

A montanha pariu um rato - A coerência colocada à prova - A execução de Saddam Hussein - O Nosso Fado - "Dois perigos ameaçam incessantemente o mundo: a desordem e a ordem" Paul Valéry, "Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa, salvar a humanidade", Almada Negreiros - "A mim já não me resta a menor esperança... tudo se move ao compasso do que encerra a pança...", Frida Kahlo

segunda-feira, setembro 12, 2005

553. Presidenciais (3): Tem Cavaco Silva perfil para Presidente? Expliquem-me porquê...



Há algo que me inquieta há algum tempo! Porque é que Cavaco Silva tem sondagens tão favoráveis há já alguns anos? Confesso que não percebo! A minha surpresa advém da falta de perfil deste para o cargo em questão, do desconhecimento que tenho das suas ideias para o país e para o cargo, do facto da Presidência não ser o local ideal para ter um segundo Ministro das Finanças, pela oportunidade perdida que foi a sua governação, entre outras razões. Compreendia que, nesta fase, o eleitorado fiel à sua área política tivesse como intenção votar Cavaco mas, e repito que nesta fase, não percebo onde Cavaco Silva vai buscar mais votos.

A única teoria que parece aceitável é Cavaco Silva estar envolvido num nevoeiro Sebastiânico e que nele são depositadas as esperanças do regresso a outros tempos, tempos mais fáceis sem dúvida. O problema é que os Salvadores da Pátria são fogo fátuo! Desenganem-se aqueles que pensam que vamos voltar aos tempos das “vacas gordas” ou que Cavaco vai voltar a conduzir a política económica (cuja condução até nem foi nada brilhante no seu tempo e foi a génese de muitos dos problemas actuais). Cavaco foi o “Homem do Leme, que mais água meteu no barco em tempo de bonança” (Anónimo dixit). A questão central é que tipo de perfil queremos para o cargo e nada mais!

Por isso Cavaco Silva não deve ter muito interesse que a campanha comece cedo e refugia-se em mais um tabú. Se ele tem dúvidas quanto a candidatar-se eu sou o Pai Natal (até porque Cavaco nunca tem dúvidas e raramente se engana).

Que bandeiras vai utilizar e que ideias vai defender tendo em consideração que o cargo de Presidente não é um cargo técnico? Nesse aspecto a campanha vai ser uma luta contra o tempo, leia-se, a sua vitória depende da duração na percepção dos portugueses que ele é, de facto, o Dom Sebastião da nossa política. Sempre que Cavaco explicar bem as suas ideias para o cargo mais vai estar à vista que isso não combina com a ideia de Salvador da Pátria. Claro que vamos ver a versão colgate de Cavaco Silva a declarar que o país precisa dum rumo e que é uma nau desgovernada mas quem souber quais são os poderes presidenciais também sabe que o seu titular não é o homem do leme mas sim o homem que acalma as tempestades e luta por um clima de consensos, fazendo respeitar a Constituição. Por tudo isto não convém a Cavaco o debate, a campanha e os esclarecimentos. Ou seja, a pele que tem vestida actualmente (gerida pelos seus silêncios e alimentada na Comunicação Social) não é a dele. Mas como não se pode esconder até às eleições vai ter que dar a cara e, novamente, mostrar aos portugueses que não tem perfil para ser o nosso Presidente. Digo-o com convicção, não por tacticismo! Podem reler o que escrevi há uns meses aqui:

Quinta-feira, Maio 12, 2005 (408) A Esquerda Resignada e a Direita Refém


Eu fico assustado quando os portugueses vêem em Cavaco uma luz. Eu sei que o regime está em crise mas será que que vamos sair dessa crise através dum tecnocrata Keynesiano na Presidência? Não acho que o candidato a Presidente precise de saber “quantos Cantos tem os Lusíadas, ou que Thomas Moore e Thomas Mann, não são a mesma pessoa, nem parentes, nem viveram na mesma época” (Anónimo dixit) mas concerteza que tem que ser bem mais do que um candidato a Ministro das Finanças em Belém.

Para lerem o comentário do Anónimo podem abrir esta ligação.

14 Comments:

  • At 12:55 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Atendendo à actual conjuntura, é muito provável que Cavaco ganhe as eleições. Penso, inclusivamente, que é uma estratégia da "esquerda".
    Na verdade, como refere no post, o barco vai ser açoitado por uma forte tempestade e Cavaco não terá como amainá-la...

    Ivan, o terrível.

     
  • At 3:09 da tarde, Blogger Senador said…

    Como disseste "...quem souber quais são os poderes presidenciais também sabe que o seu titular não é o homem do leme mas sim o homem que acalma as tempestades e luta por um clima de consensos..." mas não foi isso com certeza aquilo que Soares fez enquanto presidente.
    Aliás tenho para mim que Cavaco gerará muito mais consensos com Sócrates do que Soares porque compreende melhor as decisões tomadas pelo governo para os problemas que o país atravessa a nivel económico que são a base da crise que se vive, como já dizia o meu avô em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão.

     
  • At 6:35 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Ivan, terrível ou não,

    Acumulam-se as teorias que Sócrates quer Cavaco a Presidente. É mais uma perversão desta campanha. Temos, por um lado, um tecnocrata que supostamente vai entender o Governo e, por outro, um idealista que vai a porto Alegre e que vai fazer a vida difícil a Sócrates. Eu, por mim, acho é que estamos todos a ficar baralhados com tanta teoria.

    Abraço,

     
  • At 6:42 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Senador,

    Cavaco gerará mais consensos com Sócrates... duvido dado a personalidade de ambos mas aceito a opinião como possível!

    O que é curioso nas mil roupas que vestem a Cavaco é a de que este gosta do que o Governo está a fazer de difícil o que não deixa de ser curioso uma vez que a maioria destas medidas são o desmontar do cavaquismo e do acumular de direitos adquiridos, regimes especiais e promoções automáticas que o ... próprio Cavaco criou.

    É curioso, não é?

    Abraço,

     
  • At 11:38 da tarde, Blogger pindérico said…

    Creio que nem os mais ardentes apoiantes de Cavaco Silva acreditam que ele possa, enquanto PR, vestir vestes de "salvador da pátria" nem me parece contestável que lhe falta estofo político para o lugar.
    Mas Mário Soares por quê? O eleitorado não verá seguramente nele mais do que o político matreiro e o hábil manipulador da palavra, com a agravante de que ninguém lhe atribui condicão para fazer mais do que já fez! Ora o povo anseia por coisas novas, espera ainda um qualquer D. Sebastião... e, convenhamos, não o vê com tantos cabelos brancos!!!
    A pressa de Sócrates em manifestar-lhe apoio diz bem do seu desespero, mas Soares não merecia acabar assim a sua vida política.

     
  • At 12:21 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Pindérico,

    Devolvo-te a pergunta: Mas Cavaco Silva por quê? Por ter menos cabelos brancos? Porque o povo português aguarda um Dom Sebastião?

    Abraço,

     
  • At 12:29 da manhã, Blogger Sandro said…

    Falo consciente da minha ignorância política.
    Há alguém que gostava de ver candidatar-se para presidente, porque lhe reconheço uma inteligência e destreza política muito grande, que é (surpreendam-se todos) Paulo Portas!
    Mas falta-lhe o que vejo em falta em quase toda a classe política deste país... "tomates", pra vir a ser um bom presidente!
    Ao Cavaco não reconheço mais que uma ilusão que uma certa nostalgia política faz acarretar...
    Veremos o que isto dá...

     
  • At 12:42 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Sandro,

    Não fiquei assim tão surpreendido com esse palpite. Até já circulam rumores que há sondagens a serem feitas com essa possibilidade...

    Abraço,

     
  • At 1:21 da manhã, Blogger dinah said…

    É realmente curioso, tendo em conta o alívio com que os Portugueses o viram pelas costas quando acabou a sua segunda legislatura. Tem a duvidosa vantagem de se ter mantido calado, o que não é especialmente tranquilizador, pois doente está o país que passa um cheque em branco a um governante que não disse o que planeia fazer e o que pensa sobre as coisas. Não me parece que dê um bom presidente da republica porque não o estou a ver ser flexivel o suficiente para manter a neutralidade e ser, de facto, o presidente de todos os portugueses. Até digo mais, acho que haverá maior instabilidade política com ele como presidente. Não percebo mesmo.

     
  • At 11:27 da manhã, Anonymous bravo said…

    Espantoso acharem que Soares foi flexível, um presidente de todos os portugueses ou um moderador! O seu segundo mandato teve um propósito e um propósito apenas: desgastar o governo de Cavaco Silva. Fez mais (e melhor, infelizmente) oposição que o então líder do PS, António Guterres! E isto porque o que Soares gosta não é do exercício da política séria e responsável, mas do combate político. Pouco lhe importam os dossiers ou a chatice da governação, ele gosta é de uma boa luta política, com manobras de bastidores, com fugas cirúrgicas à imprensa, com jogadas mais ou menos sujas, com fins a justificar meios (como se viu na sua lamentável tentativa de ser presidente do Parlamento Europeu). Não partilho nada da deificação de Soares que a Esquerda tanto pratica!

    Quanto a Cavaco, concorde-se ou não com as suas políticas, sempre esteve mais preocupado com a política do que com as politiquices. Por mim, não tenho dúvidas!

     
  • At 1:32 da tarde, Blogger Ricardo said…

    dinah,

    Eu não posso comparar os dois candidatos principais à Presidência porque um deles optou por colocar todos os votantes a alimentar suposições sobre que tipo de Presidente será! Não faço a mais mínima ideia quais as potencialidades de ter Cavaco como Presidente!

    Um beijo,

     
  • At 1:38 da tarde, Blogger Ricardo said…

    Bravo,

    É curioso que, depois de tantos sociais democratas terem criticado Soares por ser o candidato anti-Cavaco, que só consigas responder á pergunta que fiz neste post sobre que perfil e que ideias tem Cavaco para o cargo, fazendo um conjunto de considerações anti-Soares. Mais uma ironia desta batalha sui generis que se aproxima.

    Soares tem um passado político em Portugal e no estrangeiro brilhante. Concordo, porém, que, nesta fase, precisávamos de renovar as esperanças com políticos capazes de construír um Portugal diferente do que construímos até agora. Infelizmente, nenhum dos candidatos assegura isso (dos quatro que já se apresentaram) e, também nesse ponto, Cavaco não tem nenhuma vantagem relativa sobre Soares.

    Por falta de resposta à minha pergunta presumo que também não saibas bem que Cavaco defende para o cargo... se a minha conclusão foi abusiva podes sempre replicar.

    Abraço,

     
  • At 7:35 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Primeiro que tudo, quero agradecer a amabilidade do Ricardo em destacar um comentário meu no seu Blog e congratular-me de fazer rir o Índico “às gargalhadas”.
    Nada mau, para um país sisudo e de gente desmotivada. O meu muito obrigado.

    O país não está para a gargalhada, é uma gargalhada, daquelas que se desencadeiam num velório, sem razão aparente e inoportunamente, quando toda a gente se encontra confrangida.
    Confrangido vivi eu durante os Governos de Cavaco, por não suportar a sua figura (o que é irrelevante), mas acima de tudo, por me sentir atrofiado nos meus direitos, por ter a percepção que tudo girava à volta do “Laranja”, onde a Comunicação Social fez um trabalho Hercúleo para montar um mito, onde a diversidade foi amordaçada pela unanimidade em torno de um homem, que ponha e disponha do país a seu belo prazer, com a certeza que só ele sabia o que os outros queriam.
    Que pensa este homem? A única coisa que sei é que penso que ele pensa que sabe que os portugueses sabem, que ele sabe o que os portugueses querem e esperam dele.
    É bastante animador os seus ideais, tendo em conta os seus antecedentes!
    Quanto a Soares, aquele que foi péssimo Primeiro-Ministro, aquele que era uma Força de Bloqueio, que entregou vergonhosamente as colónias aos “pretos”, que é um manipulador, que contribuiu para o desgaste do pérfido “Polvo Cavaquista”, que quer o poder à força, que está a cair de velho, senil, não é um MITO, é um HOMEM de CONVICÇÕES, erra, sabe admitir os seus erros e tem sentido de Estado, para que deixem acusá-lo de tudo em relação às ex-colónias, pois se um dia, como espero, a verdade se souber, veremos o porquê.
    Soares e Cavaco são homens controversos, mas um tem um passado de dedicação e uma luta contínua a uma causa que se chama Portugal e outro faz parte da História de Portugal, por ter desempenhado funções de Primeiro-Ministro, ter conseguido a primeira maioria absoluta de um partido em Portugal, no tempo que entrava mais dinheiro no país, do que a água que corria nos nossos rios, que betonou o país de lés a lés, esbanjou milhões e milhões em inutilidades, engordou-se contas bancários de um séquito de bajuladores “laranjas”, pintou-se fachadas de Unidades Fabris, sem que houvesse uma única máquina no seu interior, onde a formação profissional foi completamente negligenciada, acabando em Tribunal.
    Será que é este campeão de matraquilhos, este novo D. Sebastião de Boliqueime que queremos na Presidência da República?
    Por mim e que o Diabo esfregue um olho, o “velhote” ainda continua a merecer a minha confiança.

    Um abraço.

     
  • At 12:17 da manhã, Blogger Ricardo said…

    Anónimo,

    Como suspeitava não há uma única pessoa que me consiga explicar as virtualidades de Cavaco na Presidência!

    Mas a maioria manda... vamos lá colocar mais um prego neste regime defunto! É urgente agir de forma a reformular o funcionamento dos partidos que estão incapazes de gerar políticos com capacidade para gerar rupturas nesta sociedade paralisada. A política devia ser um local nobre onde os melhores colocavam à disposição do país as suas capacidades mas, infelizmente, não há uma nova geração de políticos com qualidade há muito tempo.

    Enfim... este tema dava para muitas discussões...

    Abraço,

     

Enviar um comentário

<< Home